Durante a viagem a bordo do Navio de patrulha Oceânico Amazonas e nos primeiros dias da expedição para a Ilha da Trindade, em dezembro de 2016, jornalistas do Jornal O Estado de São Paulo (Estadão), acompanharam o trabalho realizado pelo biólogo Danilo Filipkowski. O integrante do laboratório desenvolve a sua pesquisa de mestrado avaliando a dinâmica espaço-temporal da matéria marinha proveniente das colônias de aves na Ilha da Trindade e a disponibilidade para outros componentes do ecossistema. Essa pesquisa avalia o trinta-réis-das-rocas (Onychoprion fuscatus) como vetor principal de matéria marinha para o ambiente insular, e o papel dos caranguejos amarelos (Johngarthia lagostoma), insetos, aracnídeos e plantas nessa dinâmica a partir da entrada desse aporte.

Os jornalistas acompanharam alguns trabalhos de censos durante a travessia. Na Ilha, eles estiveram presentes em trabalhos de identificação das principais espécies residentes e a sua distribuição no ambiente. Dessa convivência diária com a rotina a bordo e na Ilha, aliado a entrevistas realizadas com o pesquisador e com demais pesquisadores e membros da Marinha do Brasil presentes na expedição, culminou uma matéria especial publicada no jornal no dia 07/01/2017.

O LAATM realiza pesquisas em Trindade desde 2012. Além desse trabalho com transporte de matéria, são realizados trabalhos com ecologia trófica, idade e crescimento de tartarugas verdes (Chelonia mydas) que realizam suas desovas na ilha, e com a ecologia e biologia do petrel-de -Trindade (Pterodroma arminjoniana).

link: http://infograficos.estadao.com.br/politica/ilha-de-trindade/a-travessia

 

img noticia estadao

Desde 2012, o Laboratório de Aves Aquáticas e Tartarugas Marinhas (LAATM) desenvolve na Ilha da Trindade o projeto “Distribuição, riqueza, abundância e uso do habitat pelos cetáceos e aves marinhas entre a costa brasileira e o Arquipélago de Trindade e Martin Vaz em relação a parâmetros fisiográficos e oceanográficos”. Este projeto recebe financiamento do CNPq e desenvolve-se em parceria com outras instituições nacionais (UERJ e UFPR) e suporte logístico da Marinha do Brasil, através da SECIRM. Entre os objetivos do projeto está a identificação das áreas de invernagem do petrel-de-trindade (Pterodroma arminjoniana), espécie classificada como “vulnerável” pela IUCN e “criticamente ameaçada de extinção” pelo Ministério do Meio Ambiente. O petrel-de-trindade é uma espécie de hábitos pelágicos que utiliza a Ilha da Trindade no Atlântico Sul e a Ilha Round no oceano Índico, apenas para a reprodução. Para atingir este objetivo foram instalados geolocalizadores nos petréis, aparelhos que permitem a identificação das rotas e locais utilizados durante a invernagem. Os resultados preliminares demonstram que todos os anos, após a reprodução, os petréis-de-trindade se deslocam para uma região oceânica no Atlântico Norte que utilizam como área de invernagem antes de retornarem para a ilha e iniciarem novamente a reprodução, conforme mostrado nos mapas. Um pouco do trabalho que o laboratório desenvolve na Ilha da Trindade foi mostrado na reportagem realizada pelo programa Globo Repórter, no dia 08 de abril, com entrevista do doutorando Gustavo da Rosa Leal. O link da reportagem é http://g1.globo.com/globo-reporter/edicoes/2016/04/01.html#!v/4928531.

 

pesquisa rastreamento petreis de trindade

 

 Rotas e áreas de invernagem de petréis-de-trindade rastreados com geolocalizadores pela equipe da FURG.

 

 

 

 

 

 

No dia 21 de agosto foi colocado um transmissor satelital em um dos onze pinguins-de-magalhães (Sphensicus magellanicus) juvenis reabilitados e liberados pelo Centro de Reabilitação de Animais Marinhos – CRAM-FURG. O grupo foi liberado na praia próximo à fronteira com o Uruguai. A colocação do equipamento foi realizada pelos alunos de pós-graduação do LAATM, Fernanda Marques e Guilherme Nunes, e faz parte de um projeto de caracterização dos padrões oceanográficos utilizados pelos pinguins durante seu período de invernagem na região, vulnerabilidade à captura incidental na pesca de emalhe da anchova (Pomatomus saltatrix), e associação com a sua principal presa, a anchoita (Engraulis anchoita). Antes disso outros 4 transmissores já haviam sido colocados em indivíduos no mar, capturados na pesca de anchova, e equipados pela Biól. Suzana Martins, também do LAATM. A utilização do transmissor está inserida no projeto de mestrado da Fernanda, em projeto que envolve parcerias com o Laboratório de Recursos Pesqueiros Demersais e Cefalópodes da FURG e projeto do INCT-Mar, ambos financiados pelo CNPq. As imagens ilustram a colocação do equipamento e o trajeto do indivíduo nos últimos dias.

 

A colocação dos transmissores recebeu ampla cobertura da imprensa, em rádio, jornais e TV, links a seguir:

 

http://gaucha.clicrbs.com.br/rs/noticia-aberta/onze-pinguins-serao-soltos-em-praia-de-santa-vitoria-do-palmar-no-sul-do-estado-145619.html

 

http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/564752/Pinguins-sao-soltos-em-praia-apos-cuidados

 not001

not002

 

 

Continuamos procurando candidatos qualificados para assumir uma vaga nos cursos de Doutorado e de Mestrado, com ecologia de aves aquáticas em ambientes límnicos, no curso de Pós-graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais. Edital para seleção em julho de 2015 será divulgado em breve.
Veja edital de seleção em: http://www.biologia-aquatica.furg.br

 

 

 

Artigo sobre metodologia para extração de lipídios em ossos de tartarugas marinhas, liderado por Luciana Medeiros em conjunto com as doutorandas Roberta Petitet e Danielle Monteiro, foi destaque no último volume da revista Aquatic Biology. O trabalho foi escolhido como ‘Feature Article’ e foi parte do mestrado da Luciana. Leia mais em http://www.int-res.com/prepress/b00628.html

 

 

 

As recentes mudanças na equipe do Mestrado em Oceanografia Biológica no LAATM inclui a conclusão do curso pela Biól. Luciana Medeiros da Silva, em dezembro de 2014, cujo trabalho investigou idade, padrões de crescimento e mudanças ontogenéticas no uso de hábitats da tartaruga-de-pente, Eretmochelys imbricata, a partir de amostras de úmeros de diversas regiões ao longo da costa brasileira. A outra mudanças na equipe é o ingresso da Biól. Fernanda Pinto Marques, em março de 2015. A Fernanda irá investigar a ecologia trófica de pinguins-de-magalhães, Spheniscus magellanicus, associados à pesca de anchova, e rastreamento de pinguins adultos. Foi um prazer, Luciana! Seja bem vinda, Fernanda!

 

 

 

Há uma vaga disponível para interessados em cursar Doutorado com ecologia de aves aquáticas em ambientes límnicos, no curso de Pós-graduação em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais.
Veja edital de seleção em: http://www.biologia-aquatica.furg.br

 

 

 

O Prof. Leandro Bugoni esteve em Porto Alegre para o lançamento do livro de divulgação científica "Antártica, 2048: Mudanças climáticas e equilíbrio global". O Professor elaborou o capítulo relativo às aves marinhas antárticas (ver seção Publicação desta página). A seção de autógrafos aconteceu na Usina do Gasômetro e contou com a presença de outros pesquisadores e do navegador Amyr Klink.
Mais informações sobre o livro em:
http://www.lojanastari.com.br/ecommerce_site/produto_49316_5895_Antartica-2048-Mudancas-Climaticas-e-Equilibrio-Global-
FotoLancamentoLivro

 

 

 

O Laboratório tem novos pós-graduandos. Ingressou no Lab. o Biól. Gustavo R. Leal que desenvolverá seu projeto de Doutorado na Ilha da Trindade com rastreamento e outros aspectos ecológicos do Petrel-da-Trindade, Pterodroma arminjoniana, junto ao PPG em Oceanografia Biológica, da FURG. Também iniciou a Pós o Biól. Fernando A. Faria, no curso de Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais. Fernando trabalhará com ecologia trófica de maçaricos migratórios e residentes em campos inundados, com orientação da Profa. Edélti Albertoni e co-orientação do Prof. Leandro. Ambos já atuavam no Lab. e agora encontram-se vinculadas à Pós-graduação. Bem vindos ao time!!

 

 

 

O graduando Fernando de Azevedo Faria apresentou sua Monografia de conclusão de curso em Ciências Biológicas – Bacharelado, intitulada "Ecologia alimentar da Garça-moura (Ardea cocoi) em ambiente límnico e estuarino.", orientada por Leandro Bugoni e coorientada pelo MSc. Augusto Silva-Costa. A banca avaliadora foi composta pelo Prof. Rafael A. Dias (UFPEL) e pelo doutorando Rodrigo F. Bastos (PUC-RS). A formatura ocorre no dia 11 de abril. Parabéns Fernando!!